Liberdade em tempos de corona – "Você deve falar a seus filhos"

Liberdade em tempos de corona – "Você deve falar a seus filhos"

Nosso filho, Eran, nunca soube o que significava ser independente. Ele nasceu com autismo severo, o que atrasou seu desenvolvimento cognitivo, fazendo com que Eran precisasse de ajuda em todos os aspectos de sua vida.

Sem ajuda, ele não conseguia se vestir, comer ou tomar banho sozinho. E ele nunca disse uma palavra – ele nem sabia dizer ‘Abba’ (pai) ou ‘Ima’ (mãe).

Ele morreu de outro distúrbio raro, a doença de Castleman, que destruiu seu sistema respiratório, muito parecido com o coronavírus.

Quando passávamos um tempo juntos, Eran “falava” comigo através do seu olhar penetrante. Seus olhos falavam alto. Durante essas conversas não ditas de coração para coração, era como se ele estivesse me dizendo: “Você sabe, pai, ninguém vai desenvolver uma cura para esta doença que eu tenho”.

Hoje, o mundo inteiro está ameaçado pelo Coronavírus. Nós, como sociedade, temos pavor do desconhecido, mantendo distância um do outro, com medo de pegar ou espalhar o vírus e agravar a pandemia.

Durante esses dias, parece que Eran está falando comigo novamente, dizendo: “Agora você está finalmente começando a entender como é viver no meu mundo, um mundo sem ajuda e sem esperança de cura.”

Meu amado filho, Eran, me mostrou a importância de um mundo construído com bondade e compaixão e, para minha alegria, centenas de voluntários de todo o mundo vêm à vila de reabilitação que construímos para Eran e seus colegas praticarem e promoverem os ideais de curar o mundo e se doar sem limites.

O nosso é um mundo utópico, onde judeus, muçulmanos e cristãos trabalham juntos em harmonia a partir de um profundo e permanente compromisso e crença no valor do amor para todas as pessoas, exatamente como elas são.

Nossa civilização avançada está utilizando as melhores mentes, aproveitando todos os recursos disponíveis para encontrar uma cura, vacina ou soro para derrubar esse vírus, para parar a pandemia. Mas não devemos cair na armadilha de colocar o homem acima da natureza, de acreditar que nossos líderes, cientistas ou empresários têm todas as respostas.

Nosso filho, Eran, viveu sua vida em uma espécie de microcosmo de Coronavírus que me fez entender que não são os cientistas e legisladores que estão no topo da pirâmide da humanidade, mas quem nos guia em direção aos valores iluminados da bondade, compaixão e amor sem limites que fazem da nossa uma sociedade modelo.

Somente o espírito humano, imbuído de seu amor, cuidado e compaixão, superará as camadas profundamente enraizadas de ego e arrogância na sociedade. Somente o espírito da chesed (bondade) fornecerá um equilíbrio e os recursos humanos essenciais de que precisamos para navegar em direção a um mundo melhor.

Levar essa lição a sério é a chave para a criação de um mundo do qual todos possamos nos orgulhar quando esta pandemia finalmente estiver para trás.

O Major-General (Res.) Doron Almog é o Presidente do Centro de Reabilitação ALEH Negev-Nahalat Eran, que foi nomeada em memória amorosa de seu filho Eran.